A MENTALIDADE PROVINCIANA DA REGIÃO SUL FLUMINENSE



Todos nós sabemos que o nosso grandioso país é atrasado, é terceiro mundo, tem muita pobreza e violência. Sim, tudo isso é incontestável, tão na cara, tão descarado que a gente nem liga mais.

Também é verdade que algumas coisas (muitos poucas) melhoraram no nosso país nesta ultima década. A economia está melhor, inegável. Mas, o que realmente melhorou pra você? O que melhorou na sua vida?

Se muita ou pouca coisa melhorou na sua vida, pode ter certeza, é mérito seu. Você só conseguiu alguma coisa por que você não deixou de trabalhar, não deixou se abater. A verdade é que as engrenagens que fazem o Brasil andar, são as pessoas e não os governos. São as pessoas que movimentam o dinheiro, que fazem ou não um lugar crescer. É o cidadão comum que, sem se dar conta, é quem manda neste país.

O povo brasileiro em geral não tem educação, não tem senso crítico, não sabe votar e não sabe usar contraceptivos. Vamos ser honestos, a maioria do nosso povo é burra de dar dó. E mesmo pessoas ditas tão inteligentes, demonstram mentalidades tão provincianas, pensam tão pequeno que parecem ter medo de andar pra frente.
Por falar em províncias, quando olhamos para uma região como o Sul Fluminense, vemos o esforço dos pequenos empresários para sobreviver, para empregar e se expandir. Isso mesmo, considero à todos os trabalhadores uns verdadeiros guerreiros, que lutam dia após dia para se manter de pé. Para compensar ou para descompensar, a classe política dessa região se mostra cada vez mais egoísta, preguiçosa, provinciana e uns tantos outros adjetivos.

O típico político do Sul do Estado Rio de Janeiro vem de família rica, pode comprar muita gente, muito espaço publicitário, tem muitos contatos. Ou seja, já nasce com a vida ganha. Por que a única coisa que terá que fazer para ser eleito na próxima eleição, é comprar uns votos na periferia, contratar uma galera pra distribuir panfletos, dar umas camisas e dentaduras,  tudo muito fácil.

Em Barra Mansa por exemplo, tem a família Nader que faz o quer na cidade, tem um tal de Ademir Melo que gasta um fortuna com campanha eleitoral, com trio elétrico e tudo. O pior de tudo é que esses palyboys de asilo  ganham todas as eleições. Sabe por que?  Por que o povo não pensa, não questiona.

Este texto seria para falar da mentalidade provinciana da nossa região, mas olhando bem, a mentalidade nem chega a isso. Por que simplesmente ninguém usa o cérebro, ninguém questiona. E, enquanto nada muda, muita gente enche os bolsos às custas da nossa burrice...
Bom fim de semana

2 ✎ Comentários :

Edinho disse...

Enquanto olharmos para a educação como bandeira politica, para a politica como olhamos para o futebol, torcedores, o futebol como religião a religião como única salvação social, de fato esse texto se perpetuará como uma realidade atemporal, assim como nosso país, mesmo sendo a sexta economia do mundo, se perpetuará como um país subdesenvolvido, sem educação, sem leis, sem regras. Mas com uma concentração de renda absurda que contempla alguns sortudos que sugam seja o governo de direita ou o de esquerda.

Afinal que diferença faz se o povo não tem senso de direção!

Parabéns pelo texto!

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto. Mas Barra Mansa já expulsou da política o Ademir Melo, Feres Nader, Luiz Amaral, Ismael de Souza, Roosevelt Brasil e brevemente Zé Renato- a dupla do BEM (deles).

Falta Volta Redonda acabar com essa coisa de médico na política. Ou é uma coisa ou outra. Não acredito ser possível clinicar fazendo política. Essa coisa de votar no doutor fulano de tal em Volta Redonda é de arigó. Por outo lado enfiar analfabeto na política é coisa de caipira. Ou seja, se acabar com o reinado do NERO vai ser bacana. Veja as outras opções, entre o capial analfabeto, pois o empresário por de trás não têm voto do povão e o Dr.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...