TABLÓIDE FLUMINENSE ENTREVISTA : DANIELLE PROCÓPIO


Se existe uma pessoa com capacidade e coragem para expor as suas opiniões essa pessoa chama-se Danielle Procópio
A jovem que foi aos jornais da Região dar a cara por um movimento apartidário que reivindica mais atenção para a população de Volta Redonda, mostra  sempre em seus discursos que não tem medo de cara feia. 
Consultora na área educacional e política, Danielle Procópio Nunes da Sé tem 25 anos e divide seu tempo entre a carreira e a educação de seu filho, de 8 anos de idade. Graduada em Pedagogia e Pós Graduada em Pedagogia Empresarial, ela vai além de um currículo invejável e fala de política com muita propriedade, por já ter trabalhado na Câmara Municipal de Volta Redonda e conhecer de perto esta realidade.

Nesta entrevista informal, você vai conhecer um pouco melhor a personalidade que estampou várias matérias de jornais nos últimos tempos. E entender um pouco mais sobre a vida e o cotidiano da garota que peitou o Prefeito Neto.


Sua área profissional é a Pedagogia. Quando surgiu o interesse pela Política? 

Primeiro fiz magistério e depois fui me especializar na área da educação, fiz a licenciatura em Pedagogia. Acho que foi aí que começou o meu interesse pela política, por se tratar de um curso na área de ciências humanas, a gente estuda muito a sociedade, coletividade, sistema político e educacional. Foi aí que comecei a me interessar de verdade, talvez porque comecei de fato a entender o funcionamento de muitas coisas.


O que é a política para você enquanto cidadã?

É o que move todas as questões do mundo. Não podemos pensar em melhorias, em direitos, em avanços sem pensar na política. A política é a organização das cidades, do País, da própria sociedade.
Estamos acostumados a enxergar na verdade uma politicagem e não realmente a política em sua forma plena. Acabamos atribuindo a política apenas para aqueles que exercem mandatos políticos. 
O que precisamos entender é que a política vai muito mais além, é fazer pelas pessoas, é ter pró-atividade,  pensar na coletividade, no bem comum e isso muitos brasileiros já vem fazendo independente de terem ou não mandatos.
Pra mim, a política se resume no que podemos fazer para melhorar "uma sociedade"... e colocar em prática!


Você é conhecida em Volta Redonda por expor opiniões contrárias e por peitar o Prefeito Antônio Francisco Neto. Como é ser oposição em uma cidade onde não existe oposição?

É extremamente complicado, muitas vezes é ser como um soldado sozinho numa guerra. O fato é que houve um tempo de oposições ferrenhas em Volta Redonda e hoje alguns acabaram virando situação do atual governo. Mas posso destacar que mesmo sendo difícil, existem muitas pessoas que são contrárias a algumas práticas exercidas pela atual administração e que nos encorajam. Como funcionários públicos, professores e jovens que acabam se identificando comigo.
Quando eu me oponho a alguma coisa eu sempre procuro mostrar as reais fundamentações, geralmente minhas criticas são baseadas em cima de falhas grandes: como a saúde, educação, funcionalismo público, falta de empregos, concursos com editais. Então, mesmo sendo difícil se opor, não consigo ver outra forma a não ser fazer oposição a tudo isso que a população vem sofrendo no dia-a-dia.


 O que é o grupo "VR é Nossa" e como surgiu?

O grupo VR É NOSSA surgiu depois do manifesto do dia 07 de Setembro, onde reunimos 52 jovens que vestiram camisa preta e foram mostrar para a população muitas coisas erradas que  estão acontecendo. Assim, depois desse manifesto, alguns jovens decidiram se reunir e criaram o grupo, que pretende ser um agente fiscalizador da atual administração, mostrando as falhas, cobrando soluções e principalmente conscientizando que é preciso renovar a política de Volta Redonda, tanto no executivo, quanto no Legislativo.

Depois do manifesto do dia 7 de Setembro, você apareceu em alguns veículos de comunicação da Região. Quais foram as consequências negativas ou positivas desta exposição? 

Como tudo na vida tem seu lado positivo e negativo, eu também sofri as consequências. Passei a ser alvo de algumas criticas. Em relação ao meu trabalho também confesso que acabou me complicando um pouco, porque às vezes é difícil alguém que queira te contratar saber desvincular o seu lado político do seu lado profissional. Talvez esses pontos tenham sido o lado negativo, mas o lado positivo supera tudo isso. Passei a ser conhecida nas ruas, a receber carinho e respeito de muitos e o melhor de tudo, passei a receber e-mails da população pedindo orientações e ajuda sobre coisas erradas que aconteciam em suas comunidades e em suas escolas. Tive um reconhecimento bacana por parte de alguns funcionários públicos, isso sinceramente não tem preço. Poder fazer algo de útil é sem dúvidas muito bom pra qualquer ser humano...

Você transmite uma imagem de uma pessoa forte e decidida. Quem são as suas fontes de inspiração?

Com certeza o desejo da mudança, é esse desejo que me inspira a querer coisas melhores, foi assim na minha vida pessoal e é assim na vida profissional. Eu não gosto da acomodação, quando eu posso melhorar em algo eu não penso duas vezes... Confesso que existe alguém que é também uma grande fonte dessa inspiração, é o meu Pai. Acho ele uma pessoa muito inteligente e ele sempre procurou  me incentivar desde pequena...

Você já sofreu algum tipo de ameaça ou retaliação devido à sua posição política?

Se falasse que minha família e eu nunca sofremos retaliações e que nunca sofri nenhuma ameaça estaria mentindo. Já sofri sim, claro que nada tão violento, mas coisas que achei extremamente abusivas. Mas sei que esse jogo faz parte do contexto político e eu costumo ficar mais atenta agora.


Você foi mãe muito jovem. Como você consegue conciliar o dia-a-dia com a família e os seus projetos?

Essa realmente é uma questão difícil, fui mãe muito jovem e foi um momento de aprendizado muito grande na minha vida. Quando nos tornamos mães, a gente começa a entender melhor o conceito de família, fiquei uma pessoa realmente mais emotiva depois dessa experiência.
Meu filho vem crescendo na correria do meu dia-a-dia, entre trabalho, estudo, estágio e projetos. Mas eu costumo ser o mais presente que posso na vida dele. Sou uma mãe ativa, participo dos projetos da escola dele, faço parte do Conselho Comunitário, festas, entre outros.
Conciliar a vida familiar à essa correria realmente não é fácil, mas se souber administrar a gente consegue. O que destaco como importante é a sua família participar com você.  A minha, graças a Deus entende isso. Meus pais e irmãos são muito ativos nesse processo, assim tudo fica muito mais tranquilo.

Quais são os seus sonhos para o futuro?

Tenho muitos, na minha vida pessoal e na profissional. Mas quem me conhece e me acompanha de perto sabe que mesmo com as dificuldades, eu costumo buscar a realização dos meus sonhos. Não poderia omitir aqui que meu maior sonho é me candidatar na eleições do ano que vem, a uma vaga no legislativo. Até aqui fiquei meio na dúvida se falava ou se faria uma demagogia de não dizer nada e como isso não me pertence, estou mais uma vez sendo transparente. Mas é claro, o projeto para uma candidatura não pode ser um sonho pessoal, tem que ser coletivo. As pessoas que desejam mudanças e renovação precisam sonhar com você, assim como o apoio incondicional de sua família... Então vamos ver como que as coisas vão acontecer no futuro...

Volta Redonda seria uma cidade melhor se... 

A qualidade de vida começasse a entrar mais nos nossos lares. Volta Redonda tem condições e potencial para ser uma cidade muito melhor e assim se tornar a cidade que sonhamos em viver um dia...


Qual é o recado que você deixaria para a juventude brasileira que diz que política não é uma coisa importante.

Que a política não é essa politicagem, essa generalização de corrupção que estamos vendo todos os dias na mídia. Que as coisas só vão melhorar quando a nossa juventude começar a se interessar pelos problemas do seu bairro, da sua cidade e consequentemente do seu País.
Que para termos uma vida melhor precisamos nos interessar pela política, começando pelo voto consciente...

4 ✎ Comentários :

Lucia disse...

Parabéns ao Tabloide Fluminense pela entrevista.Conheço a Danielle Procópio desde quando ela era adolescente,foi minha aluna, que por sinal uma excelente aluna.Sempre envolvida com projetos da escola,disputando eleição pra representante de turma,do tipo de aluna que o professor gosta de ter.Mais tarde tive o prazer de encontra-la na faculdade,sempre do mesmo jeito,o que está escrito nessa entrevista não é demagogia,ela é isso tudo e acima de tudo uma pessoa do bem,justa,com muita capacidade.Estarei sempre na torcida,a sociedade precisa de pessoas assim...

Alex Santos disse...

Estive numa festa hoje no bairro Santa Inês,um churrasco de amigos, e tive oportunidade de conhecer a Danielle Procópio. Me surpreendi, entre um olhar sério e depois um cumprimento forte de aperto de mão começamos conversar...Sinceramente me encantei pela garota.
Já tinha ouvido falar do nome dela através de uma amiga que trabalha comigo,e hoje tive o prazer de conhece-la. Minha curiosidade foi além,acabei vindo ver essa entrevista,acabei lendo o blog dela tbém,não a conheço bem, mas pretendo fazer laços de amizade sim...Dani,só pra descontrair, além de muitas qualidades, és linda rs...
Parabéns pela entrevista,pelo que percebi vc merece esse espaço...
Ah,o tabloide é show, vou virar um leitor frequente!

MOFO DIGITAL livros e outras velharias disse...

Ai dona Dani! Fazendo política como gente grande e ainda conquistando corações! Parabéns e um beijo grande!

Miguel disse...

Moro no bairro Açude II,sou jovem e estudante.Trabalho no comércio da Amaral Peixoto.Meu pai tava lendo o Tabloide Fluminense e acabei lendo com ele essa entrevista no sábado.Hoje quando voltava do meu horário de almoço me deparei com uma cliente muito parecida com a Danielle Procópio, mas fiquei muito na dúvida, e ai entre um atendimento e outro resolvi perguntar se era ela...e com um sorriso ela me disse que sim...e logo me perguntou sobre o que eu tava achando da administração municipal,do que eu tinha achado da obra da Amaral Peixoto, poxa a loja tava muito cheia não consegui conversar e nem responder, tbém não tive tempo de pedir um cel ou email.Mas vou deixar o meu email que é miguelzinhovr@hotmail.com.br
Dani, se vê, faça um contato comigo,gostei muito da entrevista e tenho vontade de participar mais ativamente da política na cidade.Bjão!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...