CAMALEÃO OU RAPOSA?


         
             O camaleão é um réptil conhecido por mudar a sua cor na adaptação a um ambiente ou a uma situação. Esta estratégia o ajuda a se proteger de potenciais predadores e passar despercebido por eles.
            A raposa é um animal mamífero, caracterizado por um focinho comprido e caudas longas e peludas. Em sua estratégia de caça, se utiliza de vários recursos considerados astutos, sendo muitas vezes exagerada a violência como ataca suas presas.

Na vida política, estes dois animais se tornaram objetos de metáforas. O primeiro se refere a pessoas que mudam de comportamentos a fim de obterem vantagens pessoais, adaptando-se a situações antes inimagináveis para si. O segundo simboliza o sujeito oportunista, que se utiliza de ações sagazes para lograr sucesso, pouco se importando com a conseqüência de tais atos, desde que consiga êxito em seus objetivos.

A cidade de Barra Mansa está permeada destes dois tipos de “animais políticos” (não confundir com o que diz Aristóteles sobre os homens). Alguns deles inclusive conseguem ser a junção de ambos.

O “comunista” Jonas Marins é o novo integrante desta metafórica biologia política barramansense. Resta nos saber em que espécie encaixá-lo.

Como camaleão, pesa o fato de ter borrado o vermelho revolucionário de seu partido (totalmente conivente com a lambança) com o arco-íris demo-tucano. Depois de ter por várias vezes falado em socialismo, governo popular, mudança e tantas outras coisas, Jonas abrigou com gosto a direita neoliberal em sua coligação majoritária. Como uma raposa, abandonou todos os parâmetros razoáveis de moral para se alinhar ao que há de mais reacionário e arcaico na política brasileira.

Meu falecido avô, que apesar de analfabeto poderia dar aula de biologia em qualquer Universidade brasileira, certa vez me alertou quanto à “inteligência” das raposas, que segundo ele, quase nunca perdem.

A inteligência que meu avô falava, não parece estar presente na coordenação política da campanha de Marins e nem nos seus dirigentes partidários. A ingenuidade de achar que inchando sua chapa de partidos lhe renderá mais votos pode ser o elemento crucial para sua derrota eleitoral.

O eleitorado espera por mudanças, e sabe os riscos que corre elegendo alguém que não respeita as próprias palavras. Que muda de lugar por puro oportunismo e se aventura conscientemente por ondas inconciliáveis da política em seu aspecto moral e ético.

Certa vez, usei meu blog para atacar Inês Pandeló por esta não ter aderido ao grupo de Marins. Não sei o que teria acontecido caso ela tivesse entrado na chapa, mas a se pensar a partir dos acontecimentos atuais, devo dizer que a petista esta à esquerda de Jonas e Zé Renato. Estes dois, representantes da mesma forma espúria de se fazer política. O povo de Barra Mansa deve castigar a ambos por tanta falta de respeito.


4 ✎ Comentários :

Anônimo disse...

Você foi muito feliz em sua abordagem, porém superficial. A eleição em Barra Mansa apresenta 3 buracos. O primeiro é uma cratera chamada Zé Renato. Um híbrido de político feito na fábrica de postes pelo seu sócio Roosevelt Brasil, um ex prefeito com horror a Barra Mansa. Mal feito pica pau só não acabou com tudo na cidade pois não deu tempo. A Prefeitura pendurada e nas mãos de empresas e empresários, teatralmente faz uma política copa do mundo. Ou seja, a cada quatro anos ela mostra o governo do BEM DELLES, nomeações, obras dão início ou são concluídas, tudo por votos.
Nem ELLES moram em Barra Mansa, passam 4 anos fugindo do eleitor. Elles perderam tanto a vergonha que tornaram-se ridículos. A Zona Zen, área para atrair empresas, só atraiu risos. Nem para andar de bicicleta é possível de tão inacessível. A saúde estava de férias mas agora a ordem é atender quem sobreviveu nos últimos 4 anos. São meses de pouca vergonha. Onde até o prefeito Neto de Volta Redonda é usado nos carros de som pedindo voto para o Zé Renato, para ele Barra Mansa estaria como um canteiro de obras. Pobre papel do Neto ele não deve visitar o locarejo faz tempo. O único canteiro de obras que existe é na casa do meu vizinho e graças ao dinheiro dele. Parece quanto mais mentiroso e desavergonhado melhor. Como todos sabem Barra Mansa perdeu a fábrica da Nestlé após quase 1 século na cidade e a mesma foi levada pelo governador Sérgio Cabral para Três Rios. 4 prédios desabaram no Ano Bom por causa de vazamento de um cano da Prefeitura de água. E até hoje nada. O Pátio de Manobras parou. A Siderúrgica Barra Mansa desativou seus fornos. E o Zé Renato faz sua campanha com lema "Barra Mansa não pode parar". A cidade não pode parar de sustentar ELLES só sendo assim. É um rombo.
O outro buraco chama Inês Pandeló, uma despreparada, mal cercada e assessorada. A Inês nada mudou em sua vida e nada aprendeu. Sem propostas, vazia e como sempre com problemas graves para dizer a que veio ela não consegue a simpatia do eleitor. Sua rejeição é altíssima e a mesma nem sabe o motivo de sua candidatura. Ao pegar a vice prefeita eleita para ser sua vice, lançou a infeliz frase "PARA MUDAR DE VERDADE". Continua cínica e dissimulada. Se eleita por um milagre ela daria terminaria a destruição da cidade a qual ela começou, o Roosevelt continuou e com o Zé Renato deu ao povo a certeza que mudar é sair da cidade. Ninguém mais tem orgulho de morar em Barra Mansa, menos os que não tem para onde ir.
O Jonas é uma pessoa a qual nunca trabalhou. Ele nunca foi vereador, deputado, nada. Procure saber qual foi a última labuta do mesmo. O Jonas arrumou um jeitinho de entrar na Associação dos Servidores Públicos de Barra Mansa e lá mostrou seu profissionalismo em viver as custas de entidades e sindicatos. Ele ora diz ser comunista, mas seu vice acredita em Deus é da Igreja Universal. E para ajudar Jonas é Maçom e conta com apoio de seus irmãos de avental. E ainda consegue o evangélico de araque o ex governador Anthony Garotinho que fica ligando para as casas das pessoas. Mas foi a Rosinha Garotinho quem levou a Votorantim, leia Siderúrgica Barra Mansa no governo Roosevelt para Resende RJ. O tal do Jonas ainda conta com apoio da turma do Ademir Melo, no pacote segue um tal de Julinho Esteves Controlador da Câmara sem concurso público, onde ganha misterioso salário de mais de 20 mil reais sem concurso público e passa o dia em seu Blog de ataques fantasiosos a Zé Renato e descarado apoio a Jonas Marins. O Jonas nem chama Jonas, é nome de guerra. A campanha de Jonas nas últimas eleições são sempre caras como todos podem ver. A origem do dinheiro para suas campanhas e para o padrão de vida de quem não trabalha só pode ser mágica. Barra Mansa não precisa de alguém tão estranho assim.

Não vou votar no Zé Renato pois acho que nem ele no fundo quer continuar. Mas seu sócio Roosevelt do Rio diz que a mamata não pode parar. É péssimo, a Prefeitura está o caos.

Inês sem chances, erra uma vez é humano duas burrice.

Anônimo disse...

E o Jonas com lema Mudar para ser feliz , não me convenceu. Ele prometeu mudar a ASBAM criticava seu antecessor e eternizou lá com uso de aliados revezando a diretoria da Associação, fez pior que o outro. Vai ser pior do que o Zé Renato.

Como pobre adora votar Barra Mansa irá cair num destes grandes buracos eleitorais, pois nos cofres são rombos.

Anônimo disse...

Tenho um amigo conhecido de um tal de TIM. Uma bichona que manda no Jonas. Eu não sabia, mas o idiota é comandado por um cara completamente alucinado. Ele dorme no domingo tarde da noite e acorda na sexta a tarde. E disse que não vê a hora de acabar esta campanha chata. Ele vive sabe de onde? ASBAM

Anônimo disse...

A FAMÍLIA NADER
APOIA ZÉ RENATO
só para informação

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...