TABLÓIDE FLUMINENSE ENTREVISTA : JOHNES HEBERT

Ser jovem e não ser revolucionário é uma contradição genética, dizia Che Guevara. E, apesar de vermos contradições genéticas que não acabam mais na atualidade do nosso Brasil, nosso entrevistado de hoje, foge completamente à essa regra e mostra que uma revolução pode ser pequena, mas não deve acabar nunca. 

Johnes Hebert Victal Evangelista tem 22, é técnico em serviços públicos, milita em partidos políticos e tem, nada mais, nada menos, que um dos blogs mais acessados da região sul fluminense. O blog Juventude BM transformou Johnes Hebert em uma figura muita conhecida no meio político local, devido a sua facilidade de comunicação com os jovens barramansenses através da internet, mas como era de se esperar, também trouxe algumas dores de cabeça.
Na entrevista abaixo, você poderá conhecer um pouco melhor, o jovem sem papas na língua, que tem chamado atenção na internet, que luta pela juventude no poder e que tem sido um tapa na cara dos políticos regionais que nos querem fazer de trouxa.



TF : O Juventude BM é um dos blogs mais lidos atualmente no Sul Fluminense. De onde vem esse sucesso?

Johnes Hebert : Creio que vem de um trabalho contínuo e diário, com um só objetivo, ofertar oportunidade e informação aos jovens de Barra Mansa, Volta Redonda e região. Tudo isso em conjunto com meus blogs parceiros que me ajudam muito quando correlacionam ao Juventude BM.

TF : Quem são os leitores do seu blog?

Johnes Hebert : De maneira geral jovens de Barra Mansa e Volta Redonda e algumas pessoas mais experientes, que na sua grande essência gostam de política e como eu não alivio pra ninguém no blog, gostam de ler minhas opiniões a respeito de algo ou alguém. 

TF : A internet te trouxe algum tipo de reconhecimento? Você já foi reconhecido na rua por algum de seus leitores?

Johnes Hebert : Algumas vezes tanto por jovens quanto por pessoas ligadas a política. Acabam nos reconhecendo em prol do nosso trabalho que é garantir melhores oportunidades aos jovens, que em Barra Mansa são esquecidos pelo o poder público tanto executivo quanto legislativo. Aproveito e convido-os a ler uma matéria no blog juventudebm que chama-se: “A juventude de Barra Mansa merece e exigirá respeito”.

TF : Como você começou a se interessar por política?

Johnes Herbet : Desde meus doze anos de idade quando entrei para o Grêmio Estudantil do C.E. Barão de Aiuruoca, agora com vinte e dois anos, completo dez anos de participação no meio político com foco juventude.

TF: Você tem planos na área da política?

Johnes Herbet : Essa pergunta é chave e interessante, muitos amigos acham que serei candidato a cargos como de vereador por exemplo. Alguns afirmaram isso várias vezes na cidade, eu particularmente confesso que neste momento, não tenho em mente este objetivo de disputar as próximas eleições. Mas, se pudesse ajudar os outros, os jovens de Barra Mansa em especial seria sim algo muito especial pra mim.

Johnes Herbert à direita, com cartaz - Reprodução Diário do Vale

TF : Qual é a sua opinião sobre a postura da juventude de Barra Mansa em relação à política local e nacional?

Johnes Hebert : Creio que os jovens continuam mobilizados em Barra Mansa e no Brasil por um todo, a diferença é que agora não precisam apenas ficar nas ruas e praças, podem mobilizar e transformar o meio que estão através das redes sociais. Assim como o caso da garota que mudou a realidade de sua escola após fazer um diário de classe. Ficou nacionalmente famosa por lutar por seus direitos dos outros alunos.
Em Barra Mansa a juventude renovou o legislativo e apoiou um candidato de mudança que alavancou um percentual enorme dos votos dos jovens desta cidade.

TF : O que você mudaria no Brasil se tivesse esse poder?

Johnes Hebert : Se tivesse poder primeiro faria uma reforma política. Depois uma legislação específica para cargos políticos, que teriam punições exemplares, com o rigor da lei. Os políticos do nosso país roubam milhões e saem impunes, enquanto um jovem que furta algo pra comer é punido com anos de prisão. Pra mim ambos cometeram crimes, e ambos tem que pagar de acordo com a lei especifica ao caso. Investiria em mais políticas públicas para a juventude, assim como em um programa nacional de consciência sobre assuntos ligados à drogas, saúde, emprego e outros. Os jovens brasileiros ainda são muitos desinformados, na grande maioria.

TF : Qual é a sua opinião sobre religião?

Johnes Hebert : O Estado tem de ser laico. Eu posso ter qualquer religião, neste momento mantenho minhas convicções religiosas mais pra mim. Não frequento nem estudo nenhuma a fundo neste momento. Creio que sempre temos de respeitar todas as religiões, cada um acredita no que quer. Sejamos pacientes e tolerantes sobre o tema.

TF : Você acha que Barra Mansa vive um regime de Oligarquia?

Johnes Hebert : Sim, claro, há anos. Vejo muito isso, os governos chamam setores da sociedade para dialogar e nunca chamam nenhum representante da juventude, isso por si só já é um reflexo. As famílias tradicionais dominam uma série de meios de produção, comunicação, empresas de educação e outros. Pra mim, educação não é mercadoria, é direito de todos! Infelizmente, em Barra Mansa, até hoje nenhum prefeito governou para o povo, acredito e tenho esperanças que o próximo prefeito, que iniciará em 2013 mude esta realidade.

TF : Existem bairros da Região Leste de Barra Mansa em que os moradores demonstram vontade de pertencer a Volta Redonda. O que você pensa sobre isso?

Johnes Hebert : Cabe ao governo cumprir seu papel e garantir os direitos essenciais e a inclusão daquela comunidade, fazer com que os cidadãos se sintam respeitados e queiram fazer parte de Barra Mansa. Se uma pessoa não quer fazer parte de sua família e sim de outra, é por que vê algo melhor na outra. Mas nossa cidade também possui mecanismo para mudar e mudar pra melhor. Então eu creio que as autoridades municipais tem de fazer um trabalho bem feito nestas áreas e garantir que essa população continue morando em Barra Mansa com melhores condições de qualidade de vida.


TF : O que a juventude de Barra Mansa mais precisa neste momento?

Johnes Hebert : Calma e sorte, eu diria. Nós jovens de Barra Mansa estamos vivenciando um momento de transição de um governo para outro. Foram doze anos de uma única política no poder. Então precisamos de calma para esperar esta transição, para juntos cobrarmos aos que entrarem em 2013, na Câmara Municipal e na Prefeitura. Sorte, porque precisamos que as mudanças em favor da educação pública, gratuita e de qualidade seja feita ainda em 2013. Sorte, porque precisamos e aguardamos projetos e propostas para inserção do jovem ao primeiro emprego, universidade pública, programa de saúde e tantos outros estagnados no município.

TF : Qual foi o momento mais difícil da sua vida?

Johnes Herbert : Este, para não me emocionar, prefiro não contar neste momento...

TF : Qual foi o momento mais feliz da sua vida?

Johnes Hebert : Este é todos os dias. Acordar e saber que você, apesar de uma série de perrengues do dia-dia, você jamais desistiu de fazer o bem, de mudar as coisas e ainda consegue criar um ciclo de amigos, amigos verdadeiros, esta pra mim é a fórmula para ter vários momentos felizes em minha vida.

TF : Deixe um recado para os leitores do Tablóide Fluminense que leram a sua entrevista.

Johnes Hebert : Aos leitores do Tablóide e ao meu amigo blogueiro Pietro, a quem eu considero muito, mesmo conhecendo pouco, aproveito e desejo... Um sentimento. 

Sentimento este que seja de paz, alegria, amor, carinho e sorte. Jamais esqueçam que nós mesmos fazemos a diferença. Lutem e jamais desistam, mesmo quando acharem que a batalha esta perdida. Pois esta resposta só Deus tem em mãos, para o nosso próprio bem.

Que este 2013 já comece lindo e cheio de vitórias na sua vida e seu coração, seja para todos os leitores deste blog um momento de reflexão. Eu leio e compartilho Tablóide Fluminense. Deixo aquele abraço a todos e peço, faça o bem sempre que puder, independente de quem seja.






6 ✎ Comentários :

Anônimo disse...

Coitado, a gente percebe como é limitadinho este rapaz. Parabéns ao Blog Tabloide Fluminense.
Johnes Hebert tem nome de cantor brega, prega democratização dos meios de comunicação, mas seu blog não se posta anônimo como o TF. Onde as famílias tradicionais controlam a educação na cidade. Os colégios tradicionais são de grupos religiosos católicos centenários no país. Muito burro! Antes de atacar a elite, devia respeitar o conhecimento da mesma. Na internet tudo pode ser escrito, a pobreza intelectual impera com ampla maioria conforme esta entrevista com intelectualidade das misses.

Anônimo disse...

O Blog Juventude de Barra Mansa é desconhecido, e ninguém pode postar nada. Um ditador este Johnes Herbert!
Queria a opinião dele sobre a maconha.
Fiquei irritada com o cinismo e a falta de assunto de vocês. Que juventude é esta?

Lara

Anônimo disse...

Gostei muito. parabens!

Anônimo disse...

Parece ter sido entrevistado pelo colunista Mário Sérgio. Aprendeu jornalismo na UBM? Faça curso on line

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Jones e o melhor

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...